Soja é a principal fonte de receita da agricultura familiar no RS

O último Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística foi divulgado recentemente e mostra algumas mudanças no cenário gaúcho. Uma das informações que chamam a atenção é a consolidação da soja como a principal fonte de receita da agricultura familiar no estado.

Atualmente, o grão corresponde a 20% do faturamento das propriedades familiares, chegando a R$ 20,26 bilhões. Em 2006, ele representava somente 12% do total.

O cultivo da soja em unidades familiares também cresceu. Há 13 anos, ela aparecia em 24% delas. Em 2019, está presente em 26%, ou seja, em 76 das 293,8 mil pequenas propriedades gaúchas.

De acordo com especialistas, uma das justificativas para o aumento nos números é a rentabilidade existente no plantio da oleaginosa. Além de proporcionar uma boa receita, ela exige pouca mão de obra para manejar a lavoura.

 

O que é uma propriedade familiar

De acordo com a legislação brasileira, são consideradas propriedades familiares as que:

 

– possuem área de até quatro módulos fiscais. No Rio Grande do Sul, cada módulo pode equivaler de cinco a 40 hectares. Os valores variam entre os municípios, seguindo determinações do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra);

– têm, no mínimo, a metade da força de trabalho familiar;

– são responsáveis pela metade da renda familiar;

– contam com a gestão estritamente familiar.

Voltar
aioria